Eu e a montanha...Quando estou na sua base, a soberba montanha até assusta. Após escalá-la, superá-la e vencê-la,do topo o que vejo é mundo a meus pés.

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

El Cable - Cabaña Verónica - Collado Jermoso

Este era o quinto dia de actividade. Foi com uma certa pena que estavamos prontos para abandonar o conforto daquele que foi o nosso lar por 3 dias. Tínhamos uns largos kms a fazer até ao nosso próximo destino: Fuente Dé. Quando chegamos lá nem queríamos acreditar no que estavamos a ver. Já estavamos acordados há bastante tempo, não tínhamos bebido álcool, então estavamos a ver bem. Era tanta gente na bilheteira e na fila para entrar no teleférico que ficamos abismados! E eram 9:15 da manhã. O tempo de espera foi pouco: quase 1 hora. Deu tempo para petiscar, apanhar um pouco de sol e preparar o corpo para iniciar o percurso. Quando demos por isso já estavam a chamar o nosso número. Mochilas às costas e prontos para andar 2 dias a caminhar na montanha, lá entramos no teleférico. Aqueles poucos minutos da subida são mágicos! Já no topo, era mais que tempo de colocar os pés a caminho, pois já eram 10:30. Lá fomos nós até à Cabaña Verónica. A pausa para o almoço seria na Cabaña e ainda não eram 13h. O calor era bastante e acompanhado por pequenas brisas. Depois de uns dedos de conversa e visita ao interior da pequena cabana era hora de ir até ao local da nossa pernoita: Refúgio Collado Jermoso. Avisados pelo guarda do Refúgio para o cuidado que teríamos de fazer em determindos ponto do percurso, quer pela dificuldade, quer pelo facto de nas zonas abertas estar por vezes fortes rajadas de vento que se fazia sentir nesse dia. Com algum receio do que iríamos ter pela frente lá estávamos nós a caminho do Collado Jermoso. Tínhamos pela frente cerca de 3h de caminhada até ao Refúgio Collado Jermoso. Não foi preciso 10 minutos até começarmos a sentir na pele os alertas. A parede por onde tivemos de passar não tinha qualquer apoio, estava tudo abaixo do nível dos pés, as rajadas de vento eram mesmo bastante fortes. Tanto estavamos bem como de repente levavamos um grande e assustador abanão. Passada esta assustadora parte (a maior dificuldade deveu-se ao forte vento), tivemos de escalar uma pequena parede, cerca de 4metros de altura. De seguida, e até à ligação com o trilho que vem de Fuente Dé, o percurso é bastante demorado, pois tem bastantes pedras soltas que dificultam e atrasam a progressão. Mesmo ao chegar à ligação dos trilhos vimos um grupo de Corsos. O que nos deixou boquiabertos foi o facto de caminharmos em direcção a eles e sermos praticamente ignorados, o que nos permitiu uma aproximação fora do normal: 30/40metros. Foi brutal! Meia hora depois estavamos a contemplar a beleza da encosta onde se encontra o Refúgio Collado Jermoso. Daqui foi só descer até ao Refúgio. A ansiedade era tanta que parece que nunca mais lá chegavamos. Chegados ao refúgio, estava na altura de conhecer os aposentos. O ambiente era espectacular! O Refúgio estava lotado (27 pessoas), sem contar com as tendas que estavam cá fora. Por volta das 9:20 tinha chegado a tão aguardada hora mágica: o lindíssimo pôr-do-sol que pode ser observado uns metros acima do Refúgio. E tinha chegado ao fim o 5º dia de actividade.

 











































































Sem comentários:

Publicar um comentário